Conheça os finalistas

Conheça os Vencedores do Prémio HINTT 2020

Categoria: Startup Innovation

Entidade: HeartGenetics
Projeto: MyPharmaGenes®

Qual a reação ao saber que foi um dos vencedores?

Foi um momento de enorme alegria e de sensação de reconhecimento. Toda a equipa suspirou, parou o que estava a fazer e sorriu, sorriu.

Quais as motivações para avançar com este projeto? Como chegaram a esta solução?

A missão da HeartGenetics é desenvolver soluções que permitam às pessoas usar a sua informação genética para prevenir doenças e participarem na manutenção da sua saúde.

O impacto dos efeitos secundários dos medicamentos tem uma dimensão muitas vezes desconhecida do público. Cada um sofre em silêncio e aceita passivamente estas consequências com o desejo de poder vir a curar uma determinada doença. Ao longo dos anos a HeartGenetics acompanhou o desenvolvimento científico na área da farmacogenética a nível mundial. O ano passado tivemos a certeza de que a maturidade desta área era tal que já seria possível desenvolvermos uma solução abrangente, i.e. para várias áreas terapêuticas, com aplicação na prática clínica. Reduzir o sofrimento, permitir um processo de cura mais rápido e diminuir custos para todos, foram as nossas grandes motivações.

Esta solução tinha 2 desafios: 1) desenvolver um painel genético preciso e abrangente; 2) conseguir comunicar os resultados de forma simples, eficaz e acessível a todos. Só juntando o nosso conhecimento em genética humana e biotecnologia com o nosso conhecimento em tecnologias de informação e aprendizagem automática, foi possível construir  esta solução MyPharmaGenes.

Como acham que o projeto vai evoluir?

Neste momento é urgente estabelecermos parcerias com um conjunto de entidades que têm um papel fundamental na área da prescrição do medicamento e acompanhamento do doente. Estamos a falar de parcerias com hospitais e entidades de cuidados de saúde, com as farmácias, com as associações dos doentes, com a indústria farmacêutica… O papel das ordens profissionais será determinante para dar credibilidade à solução.

Temos também de criar momentos onde este tema seja debatido junto dos cidadãos. Esta solução MyPharmaGenes não é uma solução para os médicos e doentes. É uma solução para todos e desde que nascemos. Não devemos reagir no momento do efeito secundário. Temos de evitar o efeito secundário e a ineficácia da terapêutica. Temos de evitar gastos desnecessários com o sofrimento.

Em termos do projeto, será sempre um projeto dinâmico. O teste genético é realizado uma vez na vida mas o conhecimento associado aos dados vai evoluindo. Temos uma App associada ao resultado genético. Esta App vai sendo atualizada. Vai incluindo mais medicamentos à medida que o conhecimento científico vai avançando. Vai permitindo ao doente gerir a medicação que toma ao longo da vida. Esta versão do MyPhamaGenes é a semente para uma ferramenta poderosa de gestão do medicamento e de farmacovigilância.

Como imagina que o reconhecimento do prémio vai influenciar o projeto?

Este prémio chegou no momento e hora certa. Vai permitir acelerar a entrada da solução no mercado, vai dar visibilidade Nacional e Internacional e vai nos permitir partilhar conhecimento e inovação com uma das empresas tecnológicas mais inovadoras do país na área da saúde, a GLINTT. Acho que esta minha visão é muito realista e não imaginação. Temos tudo em Portugal e podemos mesmo conquistar outros continentes. A HeartGenetics como startup precisa de se fortalecer e crescer e isso só pode ser feito se estivermos aos ombros de um gigante. Uma vez mais, obrigada GLINTT.

Categoria: Clinical Outcomes

Entidade: SPMS
Serviços Partilhados do Ministério da Saúde

Projeto: Nudge Digital

Qual a reação ao saber que foi um dos vencedores?

De enorme satisfação! É o reconhecimento de um projeto inovador que consideramos ser uma mais-valia para a saúde pública.

Quais as motivações para avançar com este projeto e como chegaram a esta solução?

As motivações para avançar com este projeto partiram do desafio de aproximar a comunidade científica da Administração Pública, trazendo os conhecimentos científicos existentes na academia, para responder a problemas concretos na área da saúde. Assim, identificámos uma ameaça premente e real de saúde pública referenciada pela Organização Mundial de Saúde, que apela à redução da sobreprescrição de antibióticos, sendo Portugal também impactado por esta ameaça.

A SPMS, em parceria com a Nova School Business of Economics, delineou uma estratégia assente em ciência dos dados que permite criar valor acrescentado aos dados do sistema nacional de prescrição médica e, desta forma, permite caracterizar a distribuição de prescrição de antibióticos pelos médicos, identificar causas da sobreprescrição e  intervenções inovadoras através de tecnologias digitais. Portanto, com o conhecimento adquirido e com o trabalho em conjunto com o parceiro científico, chegámos a esta solução inovadora.

Como acham que o projeto vai evoluir? Qual o rumo que já estão a planear dar a esta solução?

O projeto está em fase de implementação. Primeiro, num ACES do Serviço Nacional de Saúde e avaliado através de um estudo de intervenção. A avaliação desta primeira implementação permitirá consolidar uma estratégia de sustentabilidade para escalar a utilização do algoritmo desenvolvido, de forma a apresentar a análise aos médicos prescritores a nível nacional, integrando esta função no software de prescrição utilizado no SNS.

Como este software é uma aplicação central, o potencial de intervenção na melhoria da prescrição de antibióticos em Portugal é substancial e incomparável às tradicionais intervenções de melhoria de prescrição de antibióticos.

Como imaginam que o reconhecimento do prémio HINTT vai influenciar o projeto?

Consideramos que o prémio HINTT vai influenciar positivamente a dois níveis. No primeiro, relativamente à motivação das pessoas que trabalham ativamente no projeto, uma vez que gera uma “pressão positiva” sobre as equipas ao saberem que o seu trabalho é reconhecido e tem mérito. No segundo nível, a motivação e a adesão dos futuros utilizadores desta solução, já que promove um reconhecimento da utilidade, importância e inovação desta solução.

Categoria: Patient Safety

Entidade: IPO Coimbra
Projeto: ONCOMMUNITIES

Qual a reação ao saber que foi um dos vencedores?
Este é um daqueles projetos em que acreditámos desde o início. A sensação de que a Glintt também acreditou em nós foi extraordinária.

Quais as motivações para avançar com este projeto e como chegaram a esta solução?
Este projeto foi-nos apresentado pelo Instituto Pedro Nunes e colaboramos desde o seu início em Portugal. Criamos uma dinâmica de equipa inovadora, que nos desafiou mas que fez a diferença junto das nossas doentes, que é o fundamental. 

Como acham que o projeto vai evoluir? Qual o rumo que já estão a planear dar a esta solução?
O nosso objetivo é manter a plataforma Oncommunities no próximo ano para as doentes com cancro da mama, enquanto aguardamos pelo potencial financiamento para a alargar para outras patologias. Temos equipa, temos o suporte tecnológico e acima de tudo temos doentes com necessidades que conseguimos colmatar em tempo útil, de uma forma integrada e participada.

Como imaginam que o reconhecimento do prémio HINTT vai influenciar o projeto?
Conseguimos criar a curiosidade pelo projeto, o que foi essencial para que o possamos consolidar no IPO de Coimbra e na equipa EIT Health. Para a equipa  Oncommunities, o reconhecimento foi altamente motivador para continuar. Porque a equipa é extraordinária e merece esse reconhecimento.  Para as nossas doentes certamente que será também gratificante participar num projeto que as capacita, que lhes transmite segurança e que promove proximidade.  Estamos a cumprir a nossa missão como IPO, o que nos orgulha, e a mostrar que é possível inovar no cuidar dos doentes oncológicos mantendo a mesma qualidade e o mesmo humanismo que nos carateriza. 

Categoria: Value Proposition

Entidade: Santa Casa da Misericórdia do Porto
Projeto: Mordomo Digital

Que impacto teve o Prémio HINTT no desenvolvimento e implementação da solução?
O reconhecimento e a valorização de uma inovação têm sempre um impacto positivo para qualquer organização e neste caso em especifico para a SCMP com o Mordomo Digital. Este prémio reconhece, interna e externamente, todo um trabalho desenvolvido por uma equipa, valida a premissa de criação de valor para o qual esta aplicação foi pensada e alavanca motivação para desenvolvimentos e melhorias futuras.

 

A aplicação “Mordomo digital” tem uma raiz tecnológica que garante o registo seguro da informação do doente. Quais são as principais vantagens da aplicação para o médico e para o doente?
Esta aplicação ajuda a preparar o médico do futuro simplificando a sua atividade clínica pelo simples facto de funcionar com recurso a mecanismos de reconhecimento de voz. Este mecanismo facilita a atualização e o preenchimento dos registos clínicos quer do internamento quer da consulta dos doentes. É igualmente útil no acesso à informação de suporte à prestação de cuidados de saúde em tempo real.

Como principais vantagens para o médico identificam-se as seguintes:

  • Médicos mais centrados na prestação de cuidados
  • Humanização da prestação de cuidados
  • Mais tempo dedicado ao doente por parte do médico
  • Redução do tempo gasto em tarefas de carácter administrativo
  • Maior mobilidade do médico
  • Como principais vantagens para os doentes identificam-se as seguintes:
  • Mais atenção dedicada por parte do médico
  • Informação clínica em tempo real para consulta por parte do médico

Acredita que, no futuro, a melhoria dos cuidados de saúde será suportada por serviços digitais? Será mais um passo para a inovação e melhor prestação de serviços?
Sim. A Misericórdia do Porto tem vindo, ao longo dos anos, a acompanhar a transformação digital dos seus serviços. Acreditamos que a inovação com foco em serviços digitais irá permitir continuar a mudar o mindset de todos para colocar cada vez mais o doente no centro da prestação de cuidados saúde mais humanizados.